Vai alugar a sua casa no Litoral ou está à procura de um lugar para ficar? Veja dicas para evitar dor de cabeça


21/11/2016 14:43:43

Para quem coloca o imóvel à disposição, é a chance de ganhar um dinheiro extra e manter o espaço em uso. Para quem busca um teto no verão, é a possibilidade de escapar de preços mais altos dos hotéis. A época de negociações já começou. Conforme Marcelo Luiz Mignone Callegaro, vice-presidente do Secovi/Agademi no Rio Grande do Sul, entidades que representam as imobiliárias, a procura começou em agosto e setembro, quando alguns dos imóveis melhores (e mais baratos) passaram a ser anunciados, mas muitos proprietários começam a anunciar apenas a partir deste mês. 

– Ainda há uma boa oferta de imóveis no Litoral Norte gaúcho, ainda mais porque o movimento neste verão não deve ser tão intenso em razão da crise – afirma Callegaro.

Um dos receios de quem pensa em alugar é uma eventual decepção com o imóvel: o estado de conservação não agradar, a vizinhança ser insegura ou haver problemas no funcionamento da luz ou água. A solução está na precaução. Conforme as imobiliárias, o ideal é reservar um dia para conhecer a residência antes de fechar negócio.

– Dessa forma se conhece bem a localização, as ruas ao redor e a proximidade com o comércio e a orla da praia – sugere Callegaro.

Também é recomendável, nesta primeira visita ou no dia de ocupar o imóvel, testar torneiras, descargas, chuveiros, luzes e eletrodomésticos, para ver se está tudo funcionando. O cuidado deve ser redobrado em imóveis de praia, que costumam ficar fechados muito tempo. Se houver algum problema, é obrigação do proprietário fazer o reparo, oferecer alguma compensação no preço ou ofertar serviço adicional.

O prazo máximo de uma locação por temporada é de 90 dias, e o pagamento do aluguel pode ser exigido antecipadamente e de uma só vez. A locação pode ser tratada via imobiliária, ou diretamente com o proprietário. Contar com intermediação de uma imobiliária pode sair mais caro, por outro lado, reduz o risco de alugar uma residência com problemas ou cair em algum golpe de anúncio falso, por exemplo. 

A imobiliária também ajuda a resolver eventuais problemas na luz, água e esgoto e, ao final do contrato, checar a vistoria.

Vai disponibilizar o imóvel para alugar? Fique atento a estas dicas

- Colocar um imóvel para alugar de temporada é importante para rentabilizar um espaço que estaria ocioso em determinado período do ano.

- Também mantém a movimentação no local em época de alta temporada, o que dá mais segurança ao bem.

- Se houver problemas com o locador, acione a imobiliária (caso tenha contratado alguma) e tente resolver amigavelmente. Caso não obtenha sucesso, procure o Juizado Especial Cível (JEC).

- É importante elaborar uma vistoria, assinada por todas as partes, para discriminar o que foi tratado verbalmente, como as datas de entrada e saída, nome e endereço do proprietário e do inquilino, preço, forma de pagamento, local de retirada e entrega das chaves.

- Para evitar problemas a quem for alugar, informe se as áreas de lazer podem ser utilizadas por convidados (alguns condomínios só permitem a utilização pelo dono do apartamento e seus familiares) e se são aceitos animais de estimação. 

Cuidados para quem irá alugar um imóvel

- É recomendável sempre visitar a casa antes de fechar acordo. É direito do consumidor conhecer a propriedade, em companhia do proprietário ou representante. É arriscado confiar exclusivamente na oferta pela internet, mesmo que haja fotos.

- Verifique a localização do imóvel, as condições de acesso ao local e a infraestrutura da região: se há padarias, açougues, supermercados por perto.

- Ao chegar, deve-se preparar um documento de vistoria com as condições da residência, para evitar o pagamento de eventuais danos que não tenha causado.

- Se as condições da casa não forem as prometidas pela imobiliária ou pelo proprietário, o locatário tem direito de exigir a devolução do valor pago, conforme o Código de Defesa do Consumidor.

- O pagamento do aluguel pode ser exigido antecipadamente e de uma só vez. Exija sempre o recibo e recuse-se a depositar valores em nome de pessoas estranhas à transação.

- Antes de assinar o contrato, tenha claro se os valores cobrados já incluem gastos como IPTU, condomínio, eletricidade e gás, ou se haverá alguma cobrança extra.

- Assim que chegar, experimente torneiras, descargas, chuveiros, luzes e eletrodomésticos, para ver se está tudo funcionando. Se descobrir algum defeito, avise o dono ou representante imediatamente: ele tem obrigação de arrumar.

Fonte: zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo


Próxima notícia


Outras noticias



Acesso rápido